DAATH: Kevin Talley grava video e comenta sobre processo de composicao

A materia abaixo foi publicada no Roadrunner Record News

Kevin Talley baterista do DAATH descreve o processo de composicao da banda e grava video na RR.com!
sobre o processo de composicao Kevin diz:

Kevin Talley

Kevin Talley

“As pessoas tem curiosidade em saber como funciona o processo de composicao e como os artistas criam suas musicas. Bem, ha muitas formas diferentes, mas afirmo baseado na minha experiencia que a melhor maneira de compor é  se trancar dentro de uma sala e fazer uma “jam” com pessoas cujas afinidades sao as mesmas. É claro que é necessario haver algumas gravações preliminares, mas nao deixe essa demo inicial restringir o seu “feeling”. Aumente a velocidade, diminua a velocidade, mude o tempo, as possibilidades sao infinitas, nao se apege demais a regras de composicao – apenas sinta e se te agradar, perfeito!

Musicas são como garotas… algumas podem ser mudadas em apenas uma noite e outras podem levar semanas (foi o que ouvi!). Mas de qualquer forma,se nao der certo após 3 semanas chute o balde. “Shampen the Blades” levou um tempo e foi criada em diferentes ensaios. Emil perdia tempo com um riff – ele ficava tocando aquele riff sempre – entao sugeri que começassemos a musica com aquele riff, entao eu entraria com uma explosao… nem pensei – apenas entrei como uma explosao. O riff da estrofe é apenas uma variação do riff de abertura, mas note como é interessante a sequencia do bumbo (deslige a musica e cante a bateria para você mesmo). Entao voltamos a explosao no “pré chorus” com o riff “chuga chuga”. Este riff “pré chorus” estava originalmente numa musica escrita por Emil feita em um “drum machine” e nós o roubamos para esta musica. Eu acho que de inicio queriamos quebrar o ritmo para o “pré chorus” mas isto acabou ficando tao padrao que preferimos utilizar a explosao nesta musica, afinal, a explosao é simples e efetiva.

entao decidimos fazer um solo, após o solo quebrei o tempo pela metado. novamente nao tive a itenção de quebrar, apenas senti, e fiquei na cavalga em 2×4 “grooveada” no condução.

Esta sessao musical foi matadora e, como a maioria neste album, foi em sua maioria escrita em “jam´s” em um quarto. Alguns albuns foram escritos com “drum machine” mas em minha opinião, você só deve  compor numa “drum machine” se for a sua unica opção. Então finalizamos a musica com o riff da estrofe (base) com metade do tempo “grooveado” na bateria. Ficou meio estranho voltar àquele riff com uma batida diferente, mas soou legal então o mantemos. Não se esqueça das regras de composição – apenas faça aquilo que soe legal pra você.

Alas, Sean Z adicionaram alguns vocais e Jeremy escreveu a base atual do baixo (não apenas tocou com as guitarras todo o tempo) e agora eh tempo de partir pra proxima garota.

– Kevins Talley”

Pra quem quiser assistir o video da gravação acesse o link abaixo:

RR.com

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




  • Bem Vindo ao Rock N Heavy News

    rockstar
    ------------------------------------------------




















  • Enquete da Semana